TAISSO 02/08/2020

Nessa aula demos ênfase ao conjunto do corpo e não as partes. Um fenômeno importante a ser observado é o efeito cascata do movimento, ou seja, o movimento anterior permanece durante o movimento atual. Dessa forma, temos que estar conscientes desse acúmulo e eventualmente, perceber o excesso de “tensão” e soltar para os pés. Nossa tendência é se desconectar do corpo (totalmente normal) por conta da prioridade da tarefa.

Lembra? Nosso cérebro só faz uma coisa de cada vez! O quadril é peça chave na movimentação do corpo em pé, pois por conta da “falta de força” nas pernas o corpo tende a se contrair e o movimento acaba sendo em bloco. Isso leva a uma sobrecarga nas articulações adjacentes (joelho e lombar). Por fim, treinamos a capacidade da perna suportar o peso do corpo sobre pressão. Nesse caso, o foco não é a força e sim o controle, ou seja o quanto você precisa ativar suas musculaturas sem as compesações (inibição) de outras musculaturas que não fazem parte do movimento.

Os movimentos que treinamos hoje, estão relacionados ao que é treinado no Karate Tradicional, para o desenvolvimento do golpe perfeito (IPPON WAZA).